0

Miragem

Eis o Juca contando como foi criada a canção “Miragem”, uma de suas favoritas.

Num sábado ensolarado de 2001, cheguei à Gargolândia de manhã, e o Rafael estava tocando piano. Mal entrei, e ele me mostrou o início de uma melodia linda que tinha começado a criar. Não costumo letrar melodias de pronto, normalmente faço esse trabalho solitariamente. Mas tive um impulso ali, na hora, e comecei a escrever uma letra, que começava com os versos “ainda te alcanço, ainda te espero, e nunca me canso de te esperar”, sobre uma pessoa que não consegue se esquecer da sua paixão, enquanto o tempo vai passando.

O Rafael evoluiu na melodia e eu na letra, e em poucas horas a música ficou praticamente pronta. Mas faltava alguma coisa. Foi quando chegou a Rita e logo em seguida o Edu, que sugeriu uma parte “b”, tão bonita como a primeira, começando de uma região mais grave. A Rita começou a letrar, criando a estrofe que começa com “tanto querer, tens o que resta de mim”. Coisa de poeta. No final do dia, tínhamos a canção pronta, concluída numa rara quadriceria.

Uma das músicas que mais gosto de lembrar, tanto pelo conteúdo, como pela forma como foi criada.

Dois anos depois, produzi o “Pescador da lua”, disco do Rafael com a primeira gravação dessa nossa “Miragem”, com arranjo do Dino Barioni. Mauro Dias gostava muito dessa canção, e da gravação.

Ouçam!

Miragem
(Rafael Alterio (Garga)/Juca Novaes/Eduardo Santhana/Rita Altério)

Ainda te alcanço
ainda te quero
e nunca me canso
de te esperar
no céu de janeiro
a luz do cruzeiro lá
os dias avançam
ainda te espero
meu amor sincero
pra te entregar
no céu fevereiro
no peito um braseiro está
queimando por te encontrar

Tanto querer
tens o que resta de mim
mas qual o que
desejo teus beijos por fim
clara
vem a noite e me leva ao devaneio
ou será é real mas não creio, receio

E vou nesse passo
nas águas de março
no tempo e no espaço
a me torturar
abril, maio, junho
te vejo, suponho, vens
mas é só um sonho
o fim da estiagem
em julho, miragem no teu lugar
agosto, setembro
no sol de dezembro
já nem lembro do teu olhar

facebooktwittergoogle plus


Leave a Reply